sábado, 6 de agosto de 2011

O Hipnotista - Lars Kepler


Desde que li o Sr. Larsson que não lia policiais à muito tempo. E o Lars Kepler, sim, porque os dois escritores são um só quando escrevem, foi o escolhido. Cheguei a essa conclusão no fim do livro.
Está bem estruturado, e a sua construção leva-nos a devorar o livro até ao penúltimo capítulo, quando acontece o clímax da história.
Vou dar um exemplo: estar a ler o livro á 1h da manhã e dar cabeçadas nele, mas mesmo assim, continuar até ao fim daquele capítulo... :)

Apesar de já saber que o personagem principal da saga que o Lars Kepler vai continuar, é o Joona Lina, neste livro Erik Bark, o hipnotista, foi o mais destacado. Um hipnotista traumatizado com a sua profissão que vai mexer num erro que aconteceu no passado, e que o levou a deixar de exercer a sua atividade.
Levando-nos a acreditar em algo e a seguir, "tirar-nos" o chão, este livro tem dois casos, dois crimes, várias vítimas, e dois psicopatas muito diferentes. Estes dois casos entrelaçam-se através de Erik Bark e Joona Lina, e o leitor que recebe pistas de um e de outro, fica confuso entre ambos, fazendo com que fique cada vez mais envolvido na história.

O Hipnotista tem tudo o que um policial deve ter: intriga, mistério, instinto, "puzzles" para o leitor resolver e claro, sangue! E em todos estes aspetos é magnifico e "qb".
Confirmei que os sucessores de Larsson são dignos da sua reputação, e claro, espero mais...
E espero ansiosamente pelo filme...

A minha avaliação:***** (*)

Sem comentários:

Enviar um comentário